Os médicos do Estado de São Paulo têm, assim como no País em geral, múltiplos vínculos, sendo que 49% dos profissionais possuem três ou mais vínculos. Um quarto dos médicos paulistas – 25,9% deles – tem quatro ou mais vínculos empregatícios. Os outros são divididos em três grupos bastante semelhantes: 24,8% têm um só emprego, 26,2% têm dois; e 23,2% têm três vínculos.

Vínculo de trabalho, no estudo, equivale a toda ocupação, vínculo empregatício, posto, cargo, função ou emprego médico remunerado. A profissão médica se caracteriza pelo acúmulo e simultaneidade de trabalhos, sendo que a maioria dos médicos trabalha para mais de um empregador e tem, ao longo de sua jornada de trabalho, mais de um vínculo.

Há mais médicos com maior número de vínculos na capital que no interior: os que têm 5, 6 ou mais empregos são 16,1% na capital e 10,6% entre os do interior. Com três vínculos, são 26,1% no interior e 20,2% na capital.

Número de vínculos empregatícios dos médicos respondentes ao inquérito, divididos em capital e interior, com valores absolutos e relativos (percentuais), acompanhados dos respectivos Intervalos de Confiança de 95%.

 Capital (N)Capital (IC 95%)Interior (N)Interior (IC 95%)Total (N)Total (IC 95%)
≥6329,4% (6,2% - 12,9%)175% (2,9% - 7,3%)497,2% (5,4% - 9,2%)
18123,8% (19,1% - 28,4%)8825,8% (21,1% - 30,5%)16924,8% (21,3% - 28%)
29828,7% (24% - 33,4%)8123,8% (19,6% - 28,2%)17926,2% (22,6% - 29,5%)
36920,2% (16,1% - 24,9%)8926,1% (21,4% - 31,1%)15823,2% (20,1% - 26,5%)
43811,1% (7,6% - 14,7%)4713,8% (10,6% - 17,3%)8512,5% (10,3% - 15,1%)
5236,7% (4,1% - 9,4%)195,6% (3,2% - 8,2%)426,2% (4,4% - 8,1%)