desigualdade

Fotos: pixabay

São Paulo tem 645 municípios, 11,6% do total de cidades brasileiras.

Para analisar a distribuição de médicos no território paulista, o estudo Demografia Médica toma como referência os 17 Departamentos Regionais da Saúde (DRS) definidos pela Secretaria de Estado da Saúde

Por conta de seu propósito administrativo de saúde, os DRSs agrupam os municípios de acordo com suas proximidades geográficas e integração de redes de serviços. Em geral, o município sede da regional coincide com a cidade que é o polo socioeconômico da região.

Enquanto a região de São José do Rio Preto agrupa 101 municípios, a da Baixada Santista reúne nove cidades. 

A regional de Ribeirão Preto, DRS 13, congrega 26 municípios e uma população de 1.452.570 habitantes. Tem 4.817 médicos, o que resulta em 3,32 profissionais por 1.000 moradores, a maior razão médico/habitante entre todas as regionais. Em seguida está o DRS1, da Grande São Paulo, com taxa de 3,05. Depois o DRS 15, de São José do Rio Preto, com razão de 2,75; e o DRS 7, de Campinas, com 2,61 médicos por 1.000 habitantes.

No outro extremo está o DRS 12, com sede em Registro, no Vale do Ribeira. A região congrega 20 municípios e um total de 245 médicos para uma população de 284.031habitantes. Com esses indicadores, tem também a menor taxa de médico por habitante, o equivalente a 0,86, ou seja, menos de um profissional para cada 1.000 moradores. Enquanto o grupo de cima tem taxas superiores às europeias, o Vale do Ribeira apresenta índices africanos.

A Regional de Ribeirão Preto tem 3,9 vezes mais médicos por habitante que Registro, enquanto a região da Grande São Paulo tem 3,5 vezes mais.

Nove entre as 17 regionais do estado de São Paulo têm taxa médico/habitante inferior à nacional, que é de 2,1 médicos por mil habitantes.

Entre elas, as cinco com taxas menores são: Registro, taxa de 0,86; o DRS 14, de São João da Boa Vista – razão de 1,37; o DRS 2, de Araçatuba, com 1,50 médico por 1.000 habitantes; o DRS 8, de Franca, com razão 1,63; e o DRS 16, de Sorocaba, com razão de 1,66.

Juntas, essas cinco regiões compreendem 142 municípios, 7.684 médicos e uma população de 5.001.847 pessoas. Resulta em 1,54 médico por 1.000 habitantes, razão menor que a nacional (2,09). Trata-se de taxa menor que a de onze estados da federação – em contrapartida, têm mais médicos por habitante que toda a região Norte e Nordeste.

A Grande São Paulo é a regional com mais médicos e população. Em seus 39 municípios vivem 21.090.791 de pessoas e moram e trabalham 64.244 médicos. Os números significam 47,5% da população e 56,2% dos médicos do estado de São Paulo – ou seja, quase metade dos moradores e mais da metade dos médicos do estado estão na capital e nas cidades do seu entorno. A taxa médico-habitante da DRS 1 é de 3,05, ficando abaixo apenas da de Ribeirão Preto. A tabela 1 resume os dados discutidos.

Tabela 1 – Número de municípios, médicos, população e razão médico/habitante de cada uma das DRSs do estado de São Paulo

DEPARTAMENTOSMunicípios(1) População NPopulação %(2) Médicos NMédicos %Razão Médico/Habitante
Total645443964841001143451002.58
DRS I - Grande São Paulo392109079147.56424456.23.05
DRS II - Araçatuba407691741.711521.01.50
DRS III - Araraquara249911292.216351.41.65
DRS IV - Baixada Santista917975004.038123.32.12
DRS V - Barretos194353111.09140.82.10
DRS VI - Bauru6817442923.932602.91.87
DRS VII - Campinas42443354310.01156310.12.61
DRS VIII - Franca226966001.611361.01.63
DRS IX - Marília6211289412.521761.91.93
DRS X - Piracicaba2615274113.426862.31.76
DRS XI - Presidente Prudente457625281.718361.62.41
DRS XII - Registro152840310.62450.20.86
DRS XIII - Ribeirão Preto2614525703.348174.23.32
DRS XIV - São João da Boa Vista208189831.811231.01.37
DRS XV - São José do Rio Preto10115772343.643443.82.75
DRS XVI - Sorocaba4824330595.540283.51.66
DRS XVII - Taubaté3924533875.553744.72.19
1 - Projeção populacional do IBGE
2 - Endereço de correspondência fora de SP de 6.9% (8.565);
3 – Endereço desatualizado 0.7% (851) dos médicos estão Estado de São Paulo.